Buscar
  • Solange Freitas

Lesões em bailarinos que podem ter consequências a longo prazo



Traumas leves são comuns na prática diária de um bailarino, e um dos locais mais comuns onde temos grande probabilidade de sofrer lesões nos membros inferiores são no 1/3 lateral da perna, justamente onde encontra-se o leito do nervo fibular profundo acessório (NFPA). Este nervo, considerado como anômalo, exerce controle nervoso sobre estruturas fundamentais para estabilização e mobilização do tornozelo. Imagine a consequência a longo prazo deste tipo de inervação periférica, advinda de um simples tombo.

A técnica de mobilização neural surge como um excelente recurso fisioterapêutico para lesões nervosas incompletas. Esta terapia manual tem como objetivo restaurar a mobilidade neural normal, aumentando o fluxo sanguíneo neural e restabelecendo a dinâmica do transporte axonal .

Lesões agudas ou condições crônicas que comprometem a estrutura ou a função dos tecidos musculoesqueléticos podem afetar amplamente o desempenho físico de um paciente, por causar comprometimentos com dor, inflamação, deformidade estrutural, restrições dos movimentos articulares, instabilidade articular e fraqueza muscular.

Os distúrbios musculoesqueléticos necessitam de uma avaliação minuciosa e um correto diagnóstico para obter melhora durante o seu tratamento. O conhecimento da mobilização neural pelo fisioterapeuta permitirá que o mesmo tenha mais eficiência na reabilitação de pacientes com comprometimentos musculoesqueléticos, pois de acordo com estudos já realizados, a mobilização neural promove resultados positivos no tratamento, diminuindo o quadro doloroso e restaurando a sua funcionalidade.

O investimento de tempo de profissionais da saúde em compreender os mecanismos de lesão em bailarinos, torna cada vez mais profissional a prática desta forma de arte, capaz de expressar as mais diferentes formas humanas vinculadas ao seu conteúdo estético e emocional.

Força, flexibilidade, resistência física, ritmicidade e coordenação são fatores chaves na gestão do bom desempenho no gesto esportivo da dança. Em verdade, a mobilidade articular e a flexibilidade são fatores determinantes neste processo.

Abordagens unilaterais são a principal causa do insucesso do tratamento. Nenhuma técnica, método ou recurso por si só, é capaz de conferir a excelência de um atendimento, por isso investir na carreira e expandir o conhecimento é uma necessidade que deve ser reconhecida pelos profissionais da área.


Dra.

Solange Freitas

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo